Mitos Africanos no ensino de Filosofia

  • Lara Gonsalves Bergol Instituto Federal da Bahia - IFBA
  • Lincoln Nascimento Cunha Júnior Instituto Federal da Bahia - IFBA

Resumo

No presente texto, buscaremos entender a importância de trabalharmos bases da(s) filosofia(s) africana(s) como uma possibilidade de pensamento anticolonialista, antirracista, oferecendo, ao mesmo tempo, o desenvolvimento de um pensamento crítico sobre o pensamento ocidental eurocentrado. O estudo da Filosofia no ensino médio tem como objetivo formar futuros cidadãos que atuarão em sociedade e seu conteúdo deveria considerar, igualmente, diferentes culturas e processos do conhecimento. Uma dessas temáticas é a mitologia. A mitologia yorubá, por exemplo, assim como as demais, é carregada de funções, como diz Campbell. O mito possui funções importantes, as quais Campbell definiu como quatro: mística, cosmológica, socióloga e pedagógica. Os livros didáticos de ensino médio precisam abordar mais sobre o assunto, diversificar os debates sobre as diversas mitologias existentes e tornar mais presente os sistemas não ocidentais, para que não produzam apenas a ideia de que o mito é algo fictício, ou que pertença apenas ao ocidente. O mito explica a origem da terra, do ser humano, e não possui apenas uma fonte ou uma só verdade absoluta. Abordaremos, pois, a importância de introduzir a mitologia africana no ensino médio, devido a influência das culturas da África para a formação cultural e acadêmicado brasileira.

Publicado
2019-11-11
Como Citar
BERGOL, Lara Gonsalves; CUNHA JÚNIOR, Lincoln Nascimento. Mitos Africanos no ensino de Filosofia. Revista PINDORAMA, [S.l.], v. 10, n. 10, p. 22-41, nov. 2019. ISSN 2179-2984. Disponível em: <https://publicacoes.ifba.edu.br/index.php/Pindorama/article/view/658>. Acesso em: 26 nov. 2020.

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

##plugins.generic.recommendByAuthor.noMetric##