ENSINO DE CIÊNCIAS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: Concepções de um grupo de professoras pedagogas

Resumo

A formação do pedagogo, profissional que leciona para a educação infantil e anos iniciais do ensino fundamental variou bastante ao longo dos anos, assim como os objetivos desse profissional para o mercado de trabalho. Paralelamente, o ensino de ciências e a chancela dessa como uma disciplina escolar também possuiu um histórico de mudanças, sempre atrelado e subordinado ao currículo que o contexto sócio-político do país demandava. Nesse sentido, investigou-se um grupo de professoras dos anos iniciais do ensino fundamental que lecionam na rede pública municipal de São Paulo acerca de suas concepções sobre ciências e o seu ensino, por meio da aplicação de um questionário. Os resultados obtidos revelam que ainda existem lacunas formativas para lecionar ciências, o que acaba limitando as práticas e a forma como a ciência é apresentada para os educandos, assim como aprimoramentos nas estruturas curriculares para o ensino de ciências nos cursos de Pedagogia precisam ser realizados.


Palavras-chave: Ensino de Ciências. Formação de Professores. Anos Iniciais do Ensino Fundamental.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##

Mestre em Ensino e História das Ciências e da Matemática pela Universidade Federal do ABC (UFABC). Professor de Ciências na Prefeitura Municipal de São Paulo (PMSP), São Paulo, SP, Brasil. E-mail: giovanni.scataglia@gmail.com.

Referências

AGUILAR, Marcia Brandão Rodrigues; OLIVEIRA, Iara Terra; BOTERO, Wander Gustavo. As representações sociais dos estudantes pré-vestibulandos sobre a disciplina de Química. Revista Thema, v. 13, n. 3, p. 50-60, 2016.

ALMEIDA, Marlisa Bernardi de; LIMA, Maria das Graças de. Formação inicial de professores e o curso de pedagogia: reflexões sobre a formação matemática. Ciência & Educação (Bauru), v. 18, n. 2, p. 451-468, 2012.

AULER, Décio; DELIZOICOV, Demétrio. Alfabetização científico-tecnológica para quê?. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências (Belo Horizonte), v. 3, n. 2, p. 122-134, 2001.

BRASIL. Lei nº 4.024, de 20 de dezembro de 1961. Fixa as diretrizes e bases da educação nacional. Lei de Diretrizes e Bases da Educação-LDB. Brasília, DF, 1961. Disponível em: . Acesso em 15. nov. 2020.

BRASIL, Constituição; BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, v. 134, n. 248, 1996. Disponível em Acesso em 15 de nov. de 2020.

BRASIL; CNE. Resolução CNE/CP n. 1, de 15 de maio de 2006. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura. 2006b. Diário Oficial da União, Brasília, 16 mai. 2006b, Seção 1, 11pDisponível em: Acesso em 15 de nov. 2020.

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Características da investigação qualitativa. In: ______. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 336p. 2010.

BYBEE, R. W. Achieving Scientific Literacy. The Science Teacher, 62(7), pp. 28-33, 1995.

CACHAPUZ, António et al (Org.). A necessária renovação do ensino das ciências. 2ª ed. São Paulo: Corte, 2005.

CARDOSO, Sheila Pressentin; COLINVAUX, Dominique. Explorando a motivação para estudar química. Química Nova, v. 23, n. 3, p. 401-404, 2000.

CARVALHO, Anna Maria Pessoa de; GIL-PÉREZ, Daniel. Formação de professores de ciências: tendências e inovações. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

CRESWELL, J.W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativos, quantitativo e misto. Porto Alegre: Artmed, 2010.

DEBOER, G. E. A history of ideas in science education: Implications for practice. New York: Teachers College Press, 1991.

DEBOER, George E. Scientific literacy: Another look at its historical and contemporary meanings and its relationship to science education reform. Journal of Research in Science Teaching: The Official Journal of the National Association for Research in Science Teaching, v. 37, n. 6, p. 582-601, 2000.

DO BRASIL, Senado Federal. Constituição da república federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, Centro Gráfico, 1988. Disponível em: . Acesso em: 15 de nov. de 2020.

DUCATTI-SILVA, K. C.; Gestão escolar: uma perspectiva de qualidade para o ensino de Ciências. In: GOMES, Delarim Martins. (Org.). Novas visões sobre a supervisão. Cuiabá: KCM Editora, 2005, p. 131-148.

ERICKSON, Frederick. Qualitative research methods for science education. In: Second international handbook of science education. Springer, Dordrecht, 2012. p. 1451-1469.

FOUREZ, Gérard. Alphabétisation Scientifique et Technique – Essai sur les finalités de l’enseignement des sciences. Bruxelas: DeBoeck-Wesmael, 1994.

GALIAN, C. V. A.; ARROIO, A. Early science education and its relevance. Problems of Education in the 21st Century, v. 45, p. 4-9, 2012.

GALIAN, Cláudia Assumpção; ARROIO, Agnaldo; SASSERON, Lúcia Helena. Formação Inicial de Professores para o Ensino Fundamental I: o Conhecimento das Ciências Naturais no Currículo do Curso de Pedagogia. Educação em Perspectiva, v. 4, n. 1, p. 87-110, 2013.

GATTI, Bernardete A.; NUNES, Marina Nuniz Rosa. Formação de professores para o ensino fundamental: estudo de curículos das licenciaturas em pedagogia, lingua portuguesa, matemática e ciências biológicas. Textos FCC, v. 29, p. 155-155, 2009.

HAMBURGER, E. W. Apontamentos sobre o ensino de Ciências nas séries escolares iniciais. Estudos Avançados, v. 21, p. 93-104, 2007.

HAZEN, R. M.; TREFIL, J. Science Matters. Achieving scientific literacy. New York: Anchor Books Doubleday, 1991.

KRASILCHIK, Myriam. Reformas e realidade: o caso do ensino das ciências. São Paulo em perspectiva, v. 14, n. 1, p. 85-93, 2000.

LAUGKSCH, Rüdiger C. Scientific literacy: A conceptual overview. Science education, v. 84, n. 1, p. 71-94, 2000.

MEGID NETO, Jorge; FRACALANZA, Hilário. O livro didático de ciências: problemas e soluções. Ciência & Educação (Bauru), v. 9, n. 2, p. 147-157, 2003.

MILLER, Jon D. The measurement of civic scientific literacy. Public understanding of science, v. 7, p. 203-223, 1998.

NEGRETE, Aquiles; LARTIGUE, Cecilia. Learning from education to communicate science as a good story. Endeavour, v. 28, n. 3, p. 120-124, 2004.

OVIGLI, Daniel Fernando B.; BERTUCCI, Monike Cristina S. A formação para o ensino de ciências naturais nos currículos de pedagogia das instituições públicas de ensino superior paulistas. Ciências & Cognição, v. 14, n. 2, p. 194-209, 2009.

PELLA, Milton O.; O'HEARN, George T.; GALE, Calvin W. Referents to scientific literacy. Journal of Research in Science Teaching, v. 4, n. 3, p. 199-208, 1966.

SASSERON, Lúcia Helena; DE CARVALHO, Ana Maria Pessoa. Almejando a alfabetização científica no ensino fundamental: a proposição e a procura de indicadores do processo. Investigações em ensino de ciências, v. 13, n. 3, p. 333-352, 2016.

SILVA, C. S. B. da. Curso de Pedagogia no Brasil: história e identidade. Campinas: Autores Associados, 1999.

DA SILVA, Osmair Benedito; QUEIROZ, Salete Linhares. Produção acadêmica sobre a formação de professores de química no Brasil: focos temáticos das dissertações e teses defendidas no período de 2001 a 2010. Alexandria: Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, v. 10, n. 1, p. 271-304, 2017.

YIN, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3 ed., Porto Alegre: Bookman, 2005.
Publicado
2021-05-22
Como Citar
PAZ, Giovanni Scataglia Botelho. ENSINO DE CIÊNCIAS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: Concepções de um grupo de professoras pedagogas. Revista PINDORAMA, [S.l.], v. 12, n. 1, p. 24, maio 2021. ISSN 2179-2984. Disponível em: <https://publicacoes.ifba.edu.br/index.php/Pindorama/article/view/749>. Acesso em: 03 ago. 2021.

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

##plugins.generic.recommendByAuthor.noMetric##