PRETOS VELHOS E GRAMILLEROS, MAMAS VIEJAS E PRETAS VELHAS: Ressignificando o ensino de língua estrangeira – espanhol

Resumo

No presente texto apresentaremos as Mamas Viejas e Gramilleros do Candombe uruguaio e os Pretos e Pretas velhas da Umbanda, com vistas a: (i) traçar semelhanças entre arquétipos negros, símbolos de resistência cultural e religiosa; (ii) pontuar contribuições do Candombe e da Umbanda para aulas de Língua Espanhola; (iii) relatar uma experiência de atividade que demonstra na prática os conceitos apresentados. A partir de uma metodologia de pesquisa bibliográfica que discute conceitos como ancestralidade, resistência e religiosidade com base em teóricos como: Eduardo Oliveira, Lélia Gonzalez, Ordep Serra, entre outros, o estudo se desdobra numa mironga epistemológica, que nos dá subsídios para contribuir e ressignificar o aprendizado de língua estrangeira (Espanhol), buscando efetivar a Lei 10.639/03.


 

Biografia do Autor

Ana Caroline da Silva Santos

Graduada em Letras com habilitação Língua Portuguesa/Língua Espanhola pela Universidade Estadual de Santa Cruz, especialista em Ensino de Língua Espanhola pela Universidade Cândido Mendes, mestranda em Ensino e Relações Étnico-raciais (PPGER) pela Universidade Federal do Sul da Bahia – Campus Sosígenes Costa e professora efetiva da rede pública estadual de ensino da Bahia.

Alexandre Osaniiyi

Trata-se de Alexandre de Oliveira Fernandes. Doutor em Ciências da Literatura (UFRJ). Professor de Língua Portuguesa e Literatura do IFBA/Porto Seguro. Coordenador do Grupo de Pesquisas em Linguagens, Poder e Contemporaneidades – GELPOC. Professor permanente no Programa de Pós-Graduação em Relações Étnicas e Contemporaneidade PPGREC/UESB/Jequié. Professor permanente no Programa de Pós-Graduação em Ensino e Relações Étnicas - PPGER, da Universidade Federal do Sul da Bahia - UFSB.

Lidyane Maria Ferreira

Professora Adjunta no Instituto de Humanidades, Artes e Ciências, do Centro de Formação em Humanidades e no mestrado profissional em Ensino e Relações Étnico-raciais da Universidade Federal do Sul da Bahia – Campus Sosígenes Costa. Graduada em Ciências Jurídicas e Sociais pela Universidade Federal da Paraíba, Mestre em Ciências Jurídicas – Área de concentração em Direitos Humanos, por esta mesma Universidade. Doutora em Direitos Fundamentais no Mundo Global, pela Università di Camerino.

Referências

CASTRO, Yeda Pessoa de. Das línguas africanas ao português brasileiro. Revista Afro-Ásia, exemplar de número 14.1983. p. 81 a 103.

GONZALEZ, Lélia. A categoria político-cultural de amefricanidade. In: Tempo Brasileiro. Rio de Janeiro, Nº. 92/93 (jan./jun.). 1988b. p. 69 a 82.

MACHADO, Aldibênia Freire. Filosofia Africana desde saberes Ancestrais Femininos: bordando perspectivas de descolonização do Ser-Tão que há em nós. Revista da ABPN, v. 12, n. 31, jan – fev 2020.

MONTAÑO, Oscar D. Candombe, herencia africana en Uruguay. Oralidad. UNESCO. Anuário 16/2009. p. 76 a 80.

MONTAÑO, Oscar D. Los afrodescendientes. Entrevistas concedidas a Lil Vera y Juan Cristiano. IN: Arocena, Felipe. Aguiar, Sebastián. Multiculturalismo en Uruguay. Uruguay. Ensayo y entrevistas a once comunidades culturales. Ed. Tilces, 2007. p. 103 a 109

OLIVEIRA, Eduardo David de. Epistemologia da Ancestralidade. Entrelugares Revista Eletrônica de Sociopoética e abordagens afins, v. 1, n. 2. Mar./ago. 2009.

OLIVEIRA, Eduardo David de. Filosofia da ancestralidade como filosofia africana: Educação e cultura afro-brasileira. Revista Sul-Americana de Filosofia e Educação. n. 18, maio.-out. 2012, p. 28-47.

PENNA, Camila. Paulo Freire no Pensamento Decolonial: Um olhar pedagógico sobre a teoria pós-colonial Latino –americana. Revistas de Estudos e Pesquisas sobre as Américas, v. 08, n. 2, p. 181-199, 2014.

RICHARDS, Sarah Yáñez. Mama Vieja y Gramillero, íconos ancestrales que reviven en el Carnaval Uruguayo. Disponível em: http://laconexionusa.com/noticias/. Acesso em: 20 out. 2019.

SERRA, Ordep. No caminho de aruanda: a umbanda candanga revisitada. Revista Afro-Ásia, n. 25-26. 2001, p. 215 a 256.

TV Caiçara e Canal Futura. Tambores afrouruguaios. Youtube, 25 ago. 2019. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=od9gkuNmHbU. Acesso em: 25 set. 2019.
Publicado
2020-12-24
Como Citar
SANTOS, Ana Caroline da Silva; OSANIIYI, Alexandre; FERREIRA, Lidyane Maria. PRETOS VELHOS E GRAMILLEROS, MAMAS VIEJAS E PRETAS VELHAS: Ressignificando o ensino de língua estrangeira – espanhol. Revista PINDORAMA, [S.l.], v. 11, n. 1, p. p. 216-230, dez. 2020. ISSN 2179-2984. Disponível em: <https://publicacoes.ifba.edu.br/index.php/Pindorama/article/view/832>. Acesso em: 06 maio 2021.

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

##plugins.generic.recommendByAuthor.noMetric##