GESTÃO SUSTENTÁVEL DO USO DA ENERGIA ELÉTRICA NO IFBA EUNÁPOLIS

Autores

  • Enzzo Hosaki Maciel IFBA Eunápolis
  • Vitor Oliveira Damião Instituto Federal da Bahia, Campus Eunápolis

Palavras-chave:

Eficiência energética. Gestão energética. Energia elétrica.

Resumo

Este trabalho visou a otimização do consumo e do custo da energia elétrica (EE) do IFBA campus Eunápolis por meio de análises feitas sobre as contas de EE, do período de setembro de 2018 a agosto de 2019. Com isso foi possível explorar a possibilidade de economia nos gastos relativos à EE. Foi feita uma coleta de dados das referidas contas de energia, tais como a demanda ativa, consumo ativo, etc. de cada mês, e foi possível averiguar uma alta no consumo de EE no campus durante o período de estudo em alguns meses (fev-abr/2019), além de notar a cobrança de multas por ultrapassagem da demanda contratada. Porém, a partir do mês de maio, houve um decrescimento do consumo de EE, provavelmente isso se deu devido a várias medidas de economia de EE que foram adotadas pelo campus em face do período de contingenciamento de gastos públicos. Foi feita uma análise de deslocamento de carga, através da qual concluímos o mesmo desnecessário. Além disso, foi feita uma simulação da demanda ótima, de onde foi visto que a demanda contratada pelo campus esteve adequada no período abrangido pelo estudo. Com isso, vimos que as medidas sugeridas neste trabalho estão em dia, no entanto, como houve variação substancial no consumo, concluímos que é possível otimizarmos o gasto que o campus tem com EE, através de medidas de conscientização da comunidade escolar. As medidas técnicas requerem uma constante atualização para continuidade da operação em condições de gasto mínimo.

 

Referências

[1] BRASIL. Lei no 13.242, de 30 de dezembro de 2015. Dispõe sobre as diretrizes para a elaboração e execução da Lei Orçamentária de 2016 e dá outras providências.
[2] BRASIL. Emenda constitucional no 95. Altera o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para instituir o Novo Regime Fiscal, e dá outras providências.
[3] BRASIL. Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. Secretaria de Orçamento Federal. Orçamentos da União exercício financeiro 2019: projeto de lei orçamentária. – Brasília, 2018.
[4] BRASIL. Ministério do Planejamento. Cartilha Energia – como analisar gastos com energia elétrica. Disponível em http://www.planejamento.gov.br/assuntos/gestao- publica/inovacao/noticias/cartilha-orienta-orgaos-publicos-sobre-gastos-com-energia- eletrica. Acesso: 20 de abril de 2017.
[5] Correio Braziliense. Brasília – DF. 2000 – 2019. Disponível em
https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2018/05/07/internas_economia, 678783/gasto-do-governo-com-energia.shtml. Acesso: 13 de março de 2019.
[6] Batista, O. E.; Flauzino, R. A. Medidas de gestão energética de baixo custo como estratégia para redução de custos com energia elétrica.
Revista GEPROS, v.7, n.4, p.117- 134, 2012.
[7] Oliveira, C. S; Marques, J. J. A; Santos Jr., B. F.;Linard, F. M. A.;
Almeida, A. R. Análise tarifária da Universidade Federal do Piauí
Campus Petrônio Portela. CONTECC, 2015.
[8] Yaacob, P. Z.; Zina, A. A. M. Electrical energy management in small, and medium size industries. Proceedings of TENCON ’93. IEEE Region 10 International Conference on Computers, Communications and Automation. IEEE, 1993.

Downloads

Publicado

2022-06-09

Como Citar

MACIEL, . H.; DAMIÃO, . O. GESTÃO SUSTENTÁVEL DO USO DA ENERGIA ELÉTRICA NO IFBA EUNÁPOLIS. Revista PINDORAMA, [S. l.], v. 13, n. 1, p. 15, 2022. Disponível em: https://publicacoes.ifba.edu.br/Pindorama/article/view/871. Acesso em: 22 abr. 2024.