AS REPRESENTAÇÕES DE GÊNERO E ADULTOCENTRISMO NA LITERATURA INFANTIL: Um olhar a partir dos Estudos Culturais

Autores

Palavras-chave:

Gênero, Adultocentrismo, Literatura Infantil, Estudos Culturais

Resumo

Ao reconhecer que a Literatura Infantil é um instrumento cultural que permite caminhar pelo território da fantasia, do inesperado e do surpreendente, que possibilita a criação, a imaginação, percepções e representações do mundo e do outro, tivemos como principal objetivo identificar as obras literárias utilizadas na Educação Infantil, a fim de refletir sobre as representações de gênero e adultocentrismo presentes nessas histórias. O estudo tem caráter qualitativo e está amparado pela perspectiva dos Estudos Culturais. Como instrumento metodológico, utilizamos o questionário online para realizar um levantamento com dez professoras que atuam na Educação Infantil de duas cidades do interior do Paraná. Foi possível constatar que a maioria das professoras ainda permanecem amparadas nos contos moralistas, tendo a percepção do feminino como frágil e dependente do masculino e esse é tido como forte, aventureiro e herói. Além disso, temáticas com visão adultocêntrica, como o casamento, trabalho e problemas financeiros são destacados. Percebemos que isso pode restringir a leitura de mundo e fragilizar a ampliação de repertório na infância.

 

Biografia do Autor

João Fernando de Araújo, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Graduado em Letras Português-Inglês pela Universidade Estadual do Paraná (UENP) campus Jacarezinho. Graduado em Pedagogia pela Faculdade de Educação, Administração e Tecnologia de Ibaiti (FEATI/UNIESP). Mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em Educação stricto sensu da Universidade Estadual de Londrina (UEL). Jaboti, Paraná, Brasil. E-mail: joaofernandojbt@hotmail.com.

Adrielen Amancio da Silva, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Graduada em Pedagogia pela Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR). Mestra pelo Programa de Pós-Graduação em Educação stricto sensu da Universidade Estadual de Londrina (UEL). Londrina, Paraná, Brasil. E-mail: adrielen.amancio@gmail.com.

Nathália Martins Beleze, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Graduada em Pedagogia pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Mestrado em Educação pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Doutoranda pelo Programa de Pós-graduação em Educação stricto sensu da Universidade Estadual de Londrina (UEL). Professora colaboradora do Departamento de Educação da Universidade Estadual de Londrina (UEL), na área de Didática e professora estatutária do Município de Londrina. Londrina, Paraná, Brasil. E-mail: nathaliamartins@uel.br. 

Referências

ABRAMOVICH, Fanny. Literatura infantil: Gostosuras e bobices. São Paulo: Scipione, 1995.

BALISCEI, João Paulo; AZEVEDO, Laiana Moraes de; CALSA, Geiva Carolina. “Macho como um touro”. Pedagogias culturais de masculinidades em duas versões da história de Ferdinando, o touro. Educação, Santa Maria-RS, v. 45, p.01-29. 2020. Disponível em: <https://periodicos.ufsm.br/reveducacao>. Acesso em: 23 out. 2020.

BENJAMIN, Walter. Reflexões sobre a criança, o brinquedo e a educação. 34 ed. São Paulo: Duas Cidades, 2002.

CANDIDO, Antônio. Vários escritos. 3 ed. Revista Ampliada, São Paulo: Duas Cidades. 1995.

CAGNETI, Sueli de Souza. Livro que te quero livre. Rio de Janeiro: Nórdica. 1996.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Ciência, técnica e arte: o desafio da pesquisa social. In. DESLANDES, Suely Ferreira et al (orgs). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994.

PRADO, Patrícia Dias. Os três porquinhos e as temporalidades da infância. Cad. Cedes, Campinas, v. 32, n. 86, jan.-abr. 2012.

RAEL, Claudia Cordeiro. Gênero e sexualidade nos desenhos da Disney. In. LOURO, G. L.; FELIPE, J.; GOELLNER, S. V. (orgs.). Corpo, gênero e sexualidade: um debate contemporâneo na educação. 9 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

STEINBERG, Shirley R. Kindercultura. A construção da infância pelas grandes corporações. In. SILVA, Luiz H. et al. (orgs.). Identidade social e a construção do conhecimento. Petrópolis: Vozes, 1997.

XAVIER FILHA, Constantina. Era uma vez uma princesa e um príncipe...: representações de gênero nas narrativas de crianças. Estudos Feministas, Florianópolis, v.19, n.2, maio-ago. 2011.

Downloads

Publicado

2021-07-02