DIVERSIDADE HUMANA: RAÇA E EUGENIA À BRASILEIRA

  • Maria Emília dos S. Gonçalves Enfermeira Docente do IFBA. Especialista em Administração Hospitalar. Especialista em docência do ensino superior. Especialista em Educação Profissional Integrada à Educação Básica na Modalidade de Jovens e Adultos. Mestre em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Regional.

Resumo

  Este artigo teve como objetivo fazer reflexão teórica sobre como se deu e ainda se dá o racismo no Brasil e suas implicações na desigualdade social a partir da crença de raça, sustentada em uma concepção científica. Desse modo, foi realizado estudo bibliográfico, dialogando com os autores que tratam sobre o tema, sendo organizado em dois momentos que se fundem e se completam na tentativa de compreender o conceito de raça, sua construção e utilização para manter um esquema de dominação-exploraçãoexclusão. Ao termino do estudo, ficou evidente que vivemos ainda o mito da democracia racial, com um racismo camuflado e velado e ao se falar sobre isso, as pessoas dizem que é coisa de preto e que o racismo não existe em um país tão maravilhoso.

Publicado
2019-05-30
Como Citar
GONÇALVES, Maria Emília dos S.. DIVERSIDADE HUMANA: RAÇA E EUGENIA À BRASILEIRA. Revista PINDORAMA, [S.l.], v. 9, n. 9, p. 20, maio 2019. ISSN 2179-2984. Disponível em: <https://publicacoes.ifba.edu.br/index.php/Pindorama/article/view/613>. Acesso em: 15 nov. 2019.

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

##plugins.generic.recommendByAuthor.noMetric##