EDUCAÇÃO E DECOLONIALIDADE: A história da África e diáspora longe do olhar europeu

  • Serinaldo Oliveira Araújo
  • Maria do Carmo Rebouças dos Santos

Resumo

Esta pesquisa traz reflexões preliminares para (re)pensar a introdução do ensino da história da África e diáspora negra no currículo escolar a partir da perspectiva dos próprios africanos, privilegiando seus fundamentos epistemológicos e herança intelectual, como estratégia e possibilidade de descolonização de saberes eurocêntricos, oficiais e dominantes, que silenciam e reduzem as produções de outros saberes a um conjunto de representações estereotipadas, tornando necessárias medidas de intervenção que possam insurgir e resistir promovendo outras epistemologias e práticas docentes. Trata-se de pesquisa de caráter qualitativo combinada com revisão bibliográfica. Tendo como fundamento teórico o marco decolonial. Como resultado espera-se desvelar as dimensões básicas da colonialidade do saber no currículo escolar e apresentar uma possibilidade de intervenção decolonial na Educação Básica a partir de uma pesquisa que tem sido desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Ensino das Relações Étnicos-Raciais- PPGER, da Universidade Federal do Sul da Bahia, UFSB.


 

Biografia do Autor

Serinaldo Oliveira Araújo

Especialista em Docência de Gênero e Sexualidade e Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Ensino e Relações Étnicos- Raciais, PPGER -UFSB. Professor de História da Educação Básica.

Maria do Carmo Rebouças dos Santos

Doutora em Desenvolvimento, Sociedade e Cooperação Internacional pelo Centro de Estudos Avançados e Multidisciplinar da Universidade de Brasília. Professora Adjunta do Curso de Direito e professora credenciada do Programa de Pós-Graduação em Ensino e Relações Étnicos-Raciais na Universidade Federal do Sul da Bahia, PPGER-UFSB.

Referências

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução No. 1, de 17 de junho de 2004. Brasília, DF, dez. 2004. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/res012004.pdf. Acesso em: 10 nov. 2019.

CARNEIRO, Sueli. A construção do outro como não-ser como fundamento do ser. 2005. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.

COSTA, Sérgio. Dois Atlânticos: teoria social, anti-racismo e cosmopolitismo. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2006.

GOMES, Nilma, Lino. Práticas pedagógicas de trabalho com relações étnico-raciais na escola na perspectiva da Lei nº 10.639/03. Brasília: MEC; Unesco, 2012. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000260516. Acesso em: 27 nov. 2019.

KI-ZERBO, Joseph. História geral da África, I: Metodologia e pré-história da África. 2.ed. rev. Brasília: UNESCO, 2010.

MALDONADO-TORRES, Nelson. Analítica da colonialidade e da decolonialidade: algumas dimensões básicas. In: GROSFOGUEL, Ramón (et. al). Decolonialidade e pensamento afrodiaspórico. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2018.

MUNANGA, K. A difícil tarefa de definir quem é negro no Brasil. Entrevista concedida a Revista Estudos Avançados, 18(50), 51-66, 2004. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/eav/article/view/9968. Acesso em: 27 nov. 2019.

MUNANGA, K. NILMA, Lino G. O Negro no Brasil Hoje. São Paulo: Global, 2006.

OLIVA, Anderson R. A História da África nos bancos escolares. Representações e imprecisões na literatura didática. Estudos afro asiáticos, v. 25, 2003.

OLIVEIRA, Eduardo D. Epistemologia da Ancestralidade. Entrelugares Revista Eletrônica de Sociopoética e abordagens afins, v. 1, n. 2, mar./ago. 2009. Disponível em: http://www.entrelugares.ufc.br. Acesso em: 12 ago. 2019.

ORIÁ, R. Ensino de história e diversidade cultural: Desafios e possibilidades. Cad. Cedes, Campinas, vol. 25, n. 67, set./dez. 2005.

RICHARD, Santos. O sujeito desidentificado e a liberdade negada à maioria minorizada. Geledes, São Paulo, mai. 2018. Seção Artigos e Reflexões. Disponível em: https://www.geledes.org.br/o-sujeito-desidentificado-e-liberdade-negada-maioria-minorizada/. Acesso em: 27 nov. 2019.

SAID, Edward. Cultura e imperialismo. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

WALSH, Catherine. Interculturalidade crítica e pedagogia decolonial: in-surgir, re-existir e re-viver. In. CANDAU, Vera Maria (Org.). Educação intercultural na América Latina: entre concepções, tensões e propostas. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2009. p. 12-43.

ZUBARAN, Maria, A. SILVA, P. B. Interlocuções sobre Estudos Afro-Brasileiros: Pertencimento étnico-racial, memórias negras e patrimônio cultural afro-brasileiro. Currículo sem Fronteiras, v.12, n.1, jan. 2012.
Publicado
2020-12-24
Como Citar
ARAÚJO, Serinaldo Oliveira; SANTOS, Maria do Carmo Rebouças dos. EDUCAÇÃO E DECOLONIALIDADE: A história da África e diáspora longe do olhar europeu. Revista PINDORAMA, [S.l.], v. 11, n. 1, p. p. 72-84, dez. 2020. ISSN 2179-2984. Disponível em: <https://publicacoes.ifba.edu.br/index.php/Pindorama/article/view/822>. Acesso em: 06 maio 2021.

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

##plugins.generic.recommendByAuthor.noMetric##