EPISTEMOLOGIA DO SER: O que pode o corpo feminino?

Resumo

O presente artigo aborda as nuances do discurso sobre o controle do corpo feminino, bem como o relaciona ao pouco conhecimento sobre as questões fisiológicas feminais como fonte de repressão e coação do comportamento mulheril. O texto apresenta alguns exemplos que guiaram na construção do arquétipo cultural do que é ser mulher. Narra como alguns movimentos históricos influenciaram o modo de ver o corpo femíneo. Aponta reflexões sobre a construção cultural do que é ser mulher.


 

Biografia do Autor

Gheisa Santos Lisboa

Mestranda em Ensino e Relações Étnico-Raciais pela Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), pós graduanda em Educação, Cultura e Linguagem pelo Instituto Federal da Bahia (IFBA), licenciada em História pela Universidade Estadual da Bahia (UNEB). Professora da rede particular de ensino, Eunápolis, Bahia, Brasil.

Márcia Thayane Gomes Costa

Pós graduanda em Educação, Cultura e Linguagem pelo Instituto Federal da Bahia (IFBA), licenciada em História pela Universidade Estadual da Bahia (UNEB). Professora da rede particular de ensino, Eunápolis, Bahia, Brasil.

Referências

ARBEX, Daniela, 1973. Holocausto brasileiro. São Paulo: Geração Editorial, 2013.

CAMINHA, Pero Vaz, A Carta a El-Rei D. Manuel, sobre o Achamento do Brasil. Ed. Martin Claret, São Paulo – SP, 2002.

CARNEIRO, Aparecida Sueli. A Construção do Outro como Não-Ser como fundamento do Ser. Tese de Doutorado. Feusp, 2005.

CHAUI, Marilena. Cultura e democracia. En: Crítica y emancipación: Revista latinoamericana de Ciencias Sociales. Año 1, no. 1 (jun. 2008- ). Buenos Aires: CLACSO, 2008.

DEL PRIORE, Mary (Org.). História das mulheres no Brasil. Coordenação de textos de Carla Bassanesi. São Paulo: Contexto, 1997.

FREUD, Sigmund. O mal estar na civilização. São Paulo, Companhia das Letras, 2011.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro, Graal, 1979.

______. História da Sexualidade I: A vontade de saber. Tradução de Maria Thereza da Costa Albuquerque e J.A. Guilhon Albuquerque Rio de Janeiro: Graal, 2001.

GALDINI, Ana Maria. A saudade que mata. Edição 172, junho de 2010, s/p. Disponível em: https://revistapesquisa.fapesp.br/2010/06/26/a-saudade-que-mata/. Acesso em: 01 jul. 2019.

GEERTZ, C. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 1989.

HEMAN, Juliane, MACHADO, Natasha, GODINHO, Adriano. Atos de disposição voluntária do próprio corpo em vida. Publicado em 01/2019, 3 páginas. Disponível: https://jus.com.br/artigos/71583/atos-de-disposicao-voluntaria-do-proprio-corpo-em-vida. Acesso em: 01 jul. 2019.

JESUS, Carolina Maria de. Quarto de despejo- diário de uma favelada. São Paulo. Francisco Alves, 1960.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós estruturalista. Petrópolis: Vozes, 1997.

NOVAIS, Fernando A. História da Vida Privada no Brasil. Coord. geral da coleção Fernando A. Novais; organizadores dos volumes Nicolau Savcenko e Lilia M. Schwarcz. São Paulo: companhia das letras, 1998, vol.3.

PASTANA, Marcela. Quem eram as mulheres queimadas na fogueira da Inquisição? Disponível em: https://psibr.com.br/colunas/sexualidade-e-genero/marcela-pastana/quem-eram-as-mulheres-queimadas-nas-fogueiras-da-inquisicao. Acesso em: 17 jul. 2019.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil para análise histórica. 1989.

SPIVAK, Gayatri Chakravorty. Pode o subalterno falar? Tradução de Sandra Regina Goulart Almeida; Marcos Pereira Feitosa; André Pereira. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2010.

VEIGA-NETO, Alfredo. Foucault e Educação. Belo Horizonte, Autêntica, 2003.

VIEIRA, Bianca. Em bom pretuguês: Lélia Gonzalez, um quilombola americana In. Revista Lutas Sociais, São Paulo, vol.19 n.34, p.214-218, jan./jun. 2015.
Publicado
2020-12-24
Como Citar
LISBOA, Gheisa Santos; COSTA, Márcia Thayane Gomes. EPISTEMOLOGIA DO SER: O que pode o corpo feminino?. Revista PINDORAMA, [S.l.], v. 11, n. 1, p. p. 94-110, dez. 2020. ISSN 2179-2984. Disponível em: <https://publicacoes.ifba.edu.br/index.php/Pindorama/article/view/824>. Acesso em: 06 maio 2021.

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

##plugins.generic.recommendByAuthor.noMetric##