DISCUSSÕES SOBRE O ENSINO FINLANDÊS E SEUS “ECOS” NA PARAÍBA

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo apresentar a organização curricular do Sistema Educacional Finlandês, realizando uma análise comparativa com o currículo brasileiro no tocante ao Ensino Médio. Segundo Salberg (2015), o Finnish Way é um modelo educacional baseado na confiança e nos aspectos culturais da Finlândia. Queiroz (2018) salienta que a organização curricular do Ensino Médio das Escolas Técnicas da Paraíba (ECIT’s) se assemelha ao modelo de ensino Médio adotado na Finlândia, principalmente as escolas vocacionais (vocational upper). Além disso, outras questões são debatidas, por exemplo, Ensino de Sociologia, Profissionalização do Professor e Base Nacional Comum Curricular (BNCC), esses assuntos são mobilizados para compreender de maneira mais abrangente o modelo adotado pela Finlândia, apresentando as similitudes e os distanciamentos. A metodologia aplicada ocorreu por intermédio de entrevistas estruturadas e semiestruturadas direcionadas ao professor Ivandro Batista Queiroz entre 2017 e 2018, o professor Ivandro participou do intercambio Gira Mundo na Finlândia, trazendo reflexões pertinentes sobre o modelo de ensino aplicado no país nórdico. Os resultados apontam que os distanciamentos entre o modelo finlandês e o brasileiro são maiores que as proximidades, isso ocorre em detrimento de características socioculturais, políticas e econômicas.


Palavras-chave: Finlândia. Aprendizagem. Profissionalização. Currículo.

##submission.authorBiography##

Maria Adriana Farias Rodrigues

Mestranda em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Campina Grande- UFCG especialista em tecnologias na sala de aula. E-mail: adrianna_rodrigues391maia@hotmail.com.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular: Versão oficial. Brasília: MEC/SEB, 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Orientações Curriculares para o Ensino Médio: Brasília: MEC/SEB, 2006.

CURY, C. R. J. A Educação Básica no Brasil. Revista Educação e Sociedade, v. 23, n. 80, p. 68-200, set,2002. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/es/v23n80/12929.pdf. Acesso em 20 out. de 2020.
2002. Disponível em: . Acesso em 20 out. 2015.

CURY, C. R. J. Sistema nacional de educação: desafio para uma educação igualitária e federativa. Educação e Sociedade, v. 29, n. 105, p. 1187-1209, dec. 2008. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/es/v29n105/v29n105a12.pdf. Acesso em 20 out de 2020.

FREITAS, L. C.D Os reformadores empresariais da educação: da desmoralização do magistério à destruição do sistema público de educação. . Revista Educação e Sociedade. V. 33, n. 119, p. 379-404, abr.-jun. 2012.

GIL, A. C. Metodologia do ensino superior. São Paulo: Atlas, 2011.

GATTI, B. Grupo Focal na Pesquisa em Ciências Sociais e Humanas. Brasília, LiberLivro, 2005.

IOSCHPE, G. O que o Brasil quer ser quando crescer? São Paulo: Paralela, 2012.

MEUCCI, S. Institucionalização da sociologia no Brasil: primeiros manuais e cursos. São Paulo: Hucitec: Fapesp, 2011.

MACEDO, E. Mas a escola não tem que ensinar?: Conhecimento, reconhecimento e alteridade na teoria do currículo. Currículo sem Fronteiras, v. 17, n. 3, p. 539-554, set./dez. 2017.

____________, E. Base curricular comum: Novas formas de sociabilidade produzindo sentidos para educação. E-curriculum, v. 12, n. 3, p. 1530-1555, dez. 20.

____________, E. Currículo e conhecimento: aproximações entre educação e ensino. Revista Cadernos de Pesquisa, v.42 n.147, p.716-737 set./dez. 2012.

______________, E. currículo: Política, Cultura e Poder. Revista Currículo sem Fronteiras, v.6, n.2, pp.98-113, Jul/Dez 2006.

MORAES. C. S. V. O ensino Médio e as comparações internacionais: Brasil, Inglaterra e Finlândia. Revista Educ. Soc. v.38, n.139, p. 405-429, Abri/Jun, 2017.

QUEIROZ. I.B.D. Gira mundo 2017: para além de uma experiência pedagógica e cultural. Revista Práticas Pedagógicas, v.5, n. 10, p.99-108, Jul/Dez, 2018.

MANNHEIM, K. Introdução à Sociologia da Educação. São Paulo: Cultrix, 1960.

Sahlberg, P. Finnish lessons: what can the world learn from educational change in Finland? New York: Teachers College, 2015.
Publicado
2021-05-24
Como Citar
RODRIGUES, Maria Adriana Farias. DISCUSSÕES SOBRE O ENSINO FINLANDÊS E SEUS “ECOS” NA PARAÍBA. Revista PINDORAMA, [S.l.], v. 12, n. 1, p. 19, maio 2021. ISSN 2179-2984. Disponível em: <https://publicacoes.ifba.edu.br/index.php/Pindorama/article/view/912>. Acesso em: 03 ago. 2021.

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

##plugins.generic.recommendByAuthor.noMetric##