EVIDÊNCIAS SOCIETAIS: AVALIAÇÃO SOCIAL DA VARIAÇÃO NA CONCORDÂNCIA VERBAL NO PORTUGUÊS BRASILEIRO

Resumo

A concordância verbal de 3ª pessoa do plural (3PP) no português brasileiro (PB) tem sido amplamente estudada em diversas regiões do Brasil. No entanto, dados de produção não conseguem, sozinhos, apresentar resultados da dimensão societal do fenômeno. Em vista disso, o objetivo deste trabalho é apresentar evidências que projetam avaliação social a respeito da variação na concordância verbal de 3PP. São apresentadas e analisadas diferentes fontes perceptuais – como os instrumentos normativos, matérias, reportagens e memes compartilhados nas redes sociais – como meios de observar pistas a respeito da dimensão societal do fenômeno e de que forma esse processo pode resultar em preconceito linguístico, disseminado nos diversos espaços sociais.

Referências

ALMEIDA, N. M. Gramática metódica da língua portuguesa. 46. ed. São Paulo: Saraiva, 2009.

ARAUJO, S. S. F. A concordância verbal no português falado em Feira de Santana – BA: sociolinguística e sócio-história do Português Brasileiro. 2014. 342 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Letras da Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2014.

ANJOS, S. E. Um estudo variacionista da concordância verbo-sujeito na fala dos pessoenses. 1999. 133 f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 1999.

BORTONI-RICARDO, S. M. Educação em língua materna: a sociolinguística na sala de aula. São Paulo: Parábola, 2004.

BORTONI-RICARDO, S. M. A concordância verbal em português: um estudo de sua significação social. In: VOTRE, Sebastião; RONCARATI, Cláudia (org.). Anthony Julius Naro e a lingüística no Brasil: uma homenagem acadêmica. Rio de Janeiro: Letras, 2008. p. 362-380.

CANEVER, F. Infinitivo flexionado em português brasileiro: frequência e percepções sociolinguísticas. 2017. 140 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 2017.
CASTILHO, A. T. Nova gramática do Português Brasileiro. São Paulo: Contexto, 2010.

CHAVES, R. Princípio de saliência fônica: isso não soa bem. Letrônica, v. 7, n. 2, p. 522-550, 2014.

FARACO, C. A. Norma culta brasileira: desatando alguns nós. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

FREITAG, R. M. K. Uso, crença e atitudes na variação na primeira pessoa do plural no Português Brasileiro. Delta, v. 32, n. 4, p. 889-917, 2016.

FREITAG, R. M. K. A mudança linguística, a gramática e a escola. PerCursos, Florianópolis, v. 18, n. 37, p. 63-91, 2017.

FREITAG, R. M. K.; LIMA, M. E. O.; SILVA, L. S.; SOUZA, V. R. A. O uso da língua para a discriminação. A cor das Letras, Feira de Santana, v. 21, n. 1, p. 185-207, 2020.

GARRETT, P.; COUPLAND, N.; WILLIAMS, A. Investigating language attitudes. University of Wales Press, Cardiff, 2003.

LABOV, W. Padrões sociolinguísticos. Tradução Marcos Bagno, Maria Marta Pereira Scherre, Caroline Rodrigues Cardoso. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

LAMBERT, W. W.; LAMBERT, W. E. Psicologia social. Tradução de Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Zahar, 1966.

LEMLE, M.; NARO, A. J. Competências básicas do português. Relatório final de pesquisa apresentado às instituições patrocinadoras Fundação Movimento Brasileiro de Alfabetização (Mobral) e Fundação Ford, 1977.

LUCCHESI, D.; BAXTER, A.; SILVA, J. A. A. A concordância verbal. In: LUCCHESI, D.; BAXTER, A.; RIBEIRO, I. (org.). O português afro-brasileiro. Salvador: EDUFBA, 2009, p. 331-371.

LUCCHESI, D. Língua e sociedade partidas: a polarização sociolinguística do Brasil. São Paulo: Contexto, 2015.

MICHAELIS. Dicionário brasileiro da língua portuguesa. São Paulo: Melhoramentos, 2015. Disponível em: encurtador.com.br/HPV49. Acesso 17 mar. 2020.
MONGUILHOTT, I. O. S. Variação na concordância verbal de terceira pessoa do plural na fala dos florianopolitanos. 2001. 109 f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2001.

PERINI, M. A. Gramática do português brasileiro. São Paulo: Parábola, 2010.

RAMOS, H. Por uma vida melhor: Coleção Viver e Aprender. São Paulo: Editora Global, 2011.

RIBEIRO, C. C. S. Pistas para a acomodação subjetiva na variação entre em/ni na fala de universitários. Domínios de Lingu@gem, v. 13, n. 4, p. 1557-1580, 15 dez. 2019.

RODRIGUES, D. A. A concordância verbal na fala urbana de Rio Branco. 1997. 178 f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1997.

SAID ALI, M. Gramática histórica da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Melhoramentos, 1971.

SACCONI, L. A. Não erre mais! Português agradável e descomplicado. 29. ed. São Paulo: Escala Educacional, 2006.

SILVA, A. J. B. Português de arremedo: um lado do preconceito linguístico no Brasil. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, v. 61, p. 1-19, 2019.

SOUZA, N. C. C.; ARAÚJO, S. S. F. Reações subjetivas de estudantes da cidade de Tucano-BA às variantes não padrão da concordância verbal. A cor das Letras, Feira de Santana, v. 21, n. 1, p. 249-272, janeiro-abril de 2020.

SCHERRE, M. M. P. Aspectos da concordância de número no português do Brasil. Revista Internacional de Língua Portuguesa (RILP) - Norma e Variação do Português. Associação das Universidades de Língua Portuguesa, v. 12, p. 37-49. dez., 1994.

SCHERRE, M. M. P.; NARO, A. J. Sobre a concordância de número no português falado do Brasil. In: RUFFINO, G. (org.) Dialettologia, geolinguística, sociolinguística. (Atti del XXI Congresso Internazionale di Linguistica e Filologia Romanza) Centro di Studi Filologici e Linguistici Siciliani, Universitá di Palermo. Tübingen: Max Niemeyer Verlag. p. 509- 523, 1998.
Publicado
2020-12-31
Como Citar
NOVAIS, Viviane Silva de. EVIDÊNCIAS SOCIETAIS: AVALIAÇÃO SOCIAL DA VARIAÇÃO NA CONCORDÂNCIA VERBAL NO PORTUGUÊS BRASILEIRO. ENLACES - Revista de Estudos Linguísticos e Literários, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 07-31, dez. 2020. ISSN 2675-9810. Disponível em: <https://publicacoes.ifba.edu.br/index.php/enlaces/article/view/733>. Acesso em: 06 maio 2021.
Seção
ARTIGOS