Seguir, verbo auxiliar

Mudança em tempo real - hic et nunc - no português do Brasil (PB)

Autores

Palavras-chave:

Auxiliarização, Verbo seguir, Telejornais, Reanálise, Mudança em tempo real: hic et nunc

Resumo

Embora a gramaticalização seja um tipo especial de mudança linguística, agem sobre o processo as mesmas condições por que passa qualquer variação: (i) emergência de forma concorrente; (ii) mecanismos de disseminação da forma emergente; (iii) concorrência efetiva entre as formas; (iv) efetivação ou não da variante inovadora; (v) desaparecimento ou especialização da forma desbancada. No caso de verbos, o verbo-fonte pode ou não permanecer como verbo pleno. Este parece ser o caso da transformação do verbo de movimento seguir em auxiliar, no português do Brasil (PB), a partir de dados de telejornais. Observando as notícias sobre o estado clínico do candidato Jair Bolsonaro após o atentado que sofreu em comício no período eleitoral (06.09.2018), verificou-se uma expansão no uso de seguir, tanto como verbo de ligação como na perífrase de gerúndio, em franca concorrência com os auxiliares estar, ficar e continuar: “Bolsonaro segue hospitalizado” (está/continua). Em relação ao actuation problem (Weinreich, Labov e Herzog, doravante WHL, 1968) constata-se: (i) que os telejornais são favorecedores da implementação de seguir como auxiliar e (ii) que, possivelmente, os participantes das redes sociais atuem na consolidação do verbo pleno: "Me siga na rede!"

Referências

ABREU, João Capistrano de. Rã-txa hu-ni-ku-ĩ: a lingua dos caxinauás do Rio Ibuaçu affluente do Muru (Prefeitura de Tarauacá). Rio de Janeiro: Typ. Leuzinger, 1914.

Anais do Primeiro Congresso Brasileiro de Língua Falada no Teatro. Realizado em Salvador [...] de 5 a 12 de setembro de 1956. Rio de Janeiro: MEC, 1958.

BALLY, Charles. Linguistique générale et linguistique Française. 2. ed. entièrement refondue. Berne: A. Francke, 1994 [1932, 1944 ].

(A) Bíblia na linguagem de hoje. O Novo Testamento. Tradução na linguagem de hoje. 1. ed. Ilustr. Rio de Janeiro: Sociedade Bíblica do Brasil, 1973. (LH)

Bíblia Sagrada. Trad. da Vulgata e anotada pelo Pe. Matos Soares. 26. ed. São Paulo: Edições Paulinas, 1971 [Imprimatur, 1933]. (BS)

Bíblia Sagrada. Nova versão internacional. São Paulo: Editora Vida, 2001. (NVI)

BOURCIEZ, Édouard. Éléments de linguistique romane. 4. éd. rév. par l’auteur et sous le soins de Jean Bourciez. Paris: Klincksieck, 1956 [1930].

BROWN, Dan. Inferno. [trad. Fabiano Morais e Fernanda Abreu]. São Paulo: Arqueiro, 2013

BROWN, Dan. Inferno. [trad. Fernanda Oliveira; Ana Lourenço e Tânia Ganho]. Reimpr. Lisboa: Bertrand, 2013.

CAMÕES, Luís de. Avto chamado de Filodemo, feyto por Lvis de Camoes. In: Autos e comédias portugueſas por António Preſtes, Luís de Camões e outros autores portugueſes (Lisboa, 1587). Edição fac-similada. Prefácio de Hernâni Cidade; nota bibliográfica de José V. de Pina Martins. Lisboa: Lysia, 1973, fl. 143v.-163r.

CASTRO, José L. de. Extração da média aritmética da pronúncia carioca. Caracterização da base carioca, como resultado da média. Notas subsidiárias a respeito do linguajar cearense. In: Anais..., 1958, p. 101-112.

Correspondência de Capistrano de Abreu. (1853-1927). Ed. org. e pref. por José Honório Rodrigues. Rio de Janeiro: MEC-INL. Vol. I: 1954; Vol. II: 1954; Vol. III: 1956.

CUNHA, Celso Ferreira da. Gramática da língua portuguesa. 8. ed. Rio de Janeiro: MEC/FENAME, 1982 [1972].

DIAS, Baltasar. Autos, romances e trovas. Introdução, fixação de texto, notas e glossário por Alberto Figueira Gomes. Lisboa: IN-CM, 1984.

GAFFIOT, Félix. Dictionnaire Latin Français. Paris: Hachette, 1934.

GALVÃO, António. (1490?-1557) Tratado dos descobrimentos. 4. ed. Reprod. diplom., anot. e coment. Visconde da Lagoa, com colab. Elaine Sanceau. Porto: Civilização, 1987. [1564, 1731; 1944 ed. diplomática].

Histoire des francs. Grégoire de Tours e Frédégaire. Tome I. Trad. de M. Guizot. Paris: Didier, 1862.

HOPPER, Paul J. & TRAUGOTT, Elizabeth C. Grammaticalization. Cambridge: CUP, 1993.

KURYⱢ͜͜͜͜͜OWICZ, Jerzy. The evolution of grammatical categories. In: KURYⱢ͜͜͜͜͜OWICZ, J. Esquisses Linguistiques, II. München: Wilhelm Fink Verlag, 1975. p. 38-54.

LABOV, William. Estágios na aquisição do inglês standard. [tradução de Luiza Leite Bruno Lobo] In: FONSECA, Maria Stella V.; NEVES, Moema F. (orgs.). Sociolingüística. Rio de Janeiro: Eldorado, 1974 [1964], p. 49-85.

LABOV, William. Sociolinguistics patterns. Philadelphia: Univ. of Pennsylvania Press, 1972.

LABOV, William. On the use of the present to explain the past. In: HEILMANN, L. (ed.). Proceedings of the Eleventh International Congress of Linguists. (Bologna-Florence. Aug. 28 - Sept. 2, 1972). Vol. II. Bologna: Società editrice il Mulino Bologna, 1975, p. 825-851.

LOBATO, Lúcia Maria Pinheiro. 1975. Os verbos auxiliares em português contemporâneo. Critérios de auxiliaridade. In: LOBATO, L.M.P. et alii. Análises lingüísticas. Petrópolis: Vozes, 1975, p. 27-91.

MATTOSO CÂMARA JR., Joaquim. The Portuguese language. [Tradução de A. J. Naro]. Chicago: Univ. Chicago Press, 1972.

MATTOSO CÂMARA JR., Joaquim. História e estrutura da língua portuguesa. 3. ed. Rio de Janeiro: Padrão, 1979 [editor Evanildo Bechara].

McLUHAN, Marshall. Os meios de comunicação como extensões do homem (understanding media). São Paulo: Cultrix, 1969 [1964].

MEILLET, Antoine. L’évolution des formes grammaticales. In: MEILLET, A. Linguistique historique et linguistique générale. Réimpression de l’édition de Paris, 1975. Genève: Slatkine / Paris: Champion, 1982, p. 130-148.

MELO, D. Francisco Manuel de. O fidalgo aprendiz. Ed. crítica, introd., notas e índice de formas de Evelina Verdelho. A Coruña: Universidade da Coruña, 2007 [1665].

MENÉNDEZ PIDAL, Ramón. Orígenes del español. Estado lingüístico de la península ibérica hasta el siglo XI. 11.ed., según la tercera, muy corregida y adicionada. Madrid: Espasa-Calpe, 1999 [1926].

MENON, Odete Pereira da Silva. Analyse sociolinguistique de l’indétermination du sujet dans le portugais parlé au Brésil, à partir des données du NURC/SP. Tese de Doutorado, Université Paris VII, 1994.

MENON, Odete P. S. Perífrases de gerúndio: o que mudou? In: CAGLIARI, Luís Carlos. (org.). O tempo e a linguagem. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2008, p. 41-95.

MENON, Odete P. S. Duas questões nos processos de gramaticalização: a hierarquia das classes e a interpolação de elementos. Trabalho apresentado em mesa-redonda no Workshop Internacional sobre Gramaticalização. POSLIN / UFMG. Belo Horizonte: Fac. Letras da UFMG. 2010. (inédito).

MENON, Odete P. S. Gramaticalização em tempo real. Comunicação apresentada no I Encontro de Sociolinguística e Funcionalismo: variação, mudança, multifuncionalidade e ensino. Uma homenagem à prof.ª Edair Maria Görski. 13-15.09.2021. Universidade Federal da Fronteira Sul. Chapecó: UFFS (online), 2021

MUNRO, Pamela. Subject copying, auxiliarization, and predicate raising: the Mojave evidence. International Journal of American Linguistics, 42, n. 2, April 1976, p. 99-112.

PÉREZ PRIEGO, Miguel Ángel. Teatro medieval. Madrid: Cátedra, 2009.

NUNES, José Joaquim. Crestomatia arcaica. 4. ed. (com correcções feitas em vida pelo autor). Lisboa: Clássica, 1953 [1906].

Primeira parte dos Autos e comédias portugueſas, por António Preſtes, Luís de Camões e outros autores portugueses. Ed. fac-sim. da ed. org. por Afonſo Lopez. Lisboa: Por Andres Lobato Impreſſor de liuros. 1587. Prefácio de Hernâni Cidade. Nota bibliográfica de José V. de Pina Martins. Lisboa: LYSIA. 1973

RAMOS, Jânia; MENON, Odete P. S. Variação e gramaticalização. In: MARTINS, Marco Antonio; ABRAÇADO, Jussara (orgs.). Mapeamento sociolinguístico do português brasileiro. São Paulo: Contexto, 2015, p. 271-285.

REIGHARD, John. Contraintes sur le changement syntaxique. Cahier de Linguistique, 8, Québec, 1978, p. 407-436.

ROCHA, Andrée Crabée. A epistolografia em Portugal. Coimbra: Almedina, 1965)

RODRIGUES, José Honório. Prefácio. In: Correspondência de Capistrano de Abreu. (1853-1927). Vol. III. Ed. org. e pref. por José Honório Rodrigues. Rio de Janeiro: MEC-INL, 1956.

RUIZ, Juan. Arcipreste de Hita. Libro de buen amor. [ca. 1330-1343]. Ed. de Alberto Blecua. 9. ed. Madrid: Cátedra, 2010 [1992].

SAID ALI, Manuel. Gramática secundária e Gramática histórica da língua portuguêsa. Ed. revista e atualizada. Brasília: Editora da UnB, 1964.

SANDMANN, M . Remarques sur la genèse d’adjectifs en fonction d’adverbes. Revue de Linguistique Romane, XIV, n. 55-56, Juillet-décembre 1938, p. 257-278.

SANTOS, Jorge Mariano dos. Gramaticalização do aspecto iterativo no português do Brasil: o verbo viver. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Filologia e Língua Portuguesa. Fac. Filosofia, Letras e Ciências Humanas - USP. São Paulo, 2010.

VENTURA, Augusta Faria Gersão. Estudos Vicentinos I: Astronomia – Astrologia. Coimbra: Edições de Biblos. 1937.

WALKDEN, George. The Actuation Problem. In: LEDGEWAY, Adam; ROBERTS, Ian. (eds.). The Cambridge handbook of historical syntax. Cambridge: CUP, 2017, p. 403-424.

WEINREICH, Uriel; LABOV, William; HERZOG, Marvin. Empirical foundations for a theory of language change, IN: LEHMANN, W. & MALKIEL, Y. (eds.). Directions for Historical Linguistics. Austin: University of Texas Press, 1968, p. 97-195.

XAVIER, Pe. Jerónimo. Cartas. [transcrição do Ms. do Museu Britânico Add. 9854, Jesuit Missions in India – 1582-1693]. In: Documentação ultramarina portuguesa, III. Lisboa: Centro de Est. Hist. Ultramarinos, 1963.

Downloads

Publicado

31-08-2023

Como Citar

MENON, . P. da S. Seguir, verbo auxiliar: Mudança em tempo real - hic et nunc - no português do Brasil (PB). Enlaces, Salvador, v. 4, p. e023001, 2023. Disponível em: https://publicacoes.ifba.edu.br/enlaces/article/view/1008. Acesso em: 15 abr. 2024.