A PRÁTICA DA REDAÇÃO ESCOLAR E O TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO

Resumo

Este artigo investiga a prática de escrita de alunos do Ensino Médio de uma escola pública da cidade de Mariana (MG). A pesquisa tem por objetivo geral: analisar a escrita de textos do tipo dissertativo-argumentativo dos alunos do 3º Ano do Ensino Médio, de uma escola pública marianense, com base no uso das competências exigidas pelo Exame Nacional do Ensino Médio. E por objetivos específicos: (i) analisar as aulas de redação voltadas para o tipo dissertativo-argumentativo; (ii) verificar se as redações do tipo dissertativo-argumentativo dos alunos atendem à proposta das competências do ENEM. Os sujeitos participantes da pesquisa são alunos do 3º Ano do Ensino Médio e dois professores de Língua Portuguesa. O objeto de estudo é a redação escolar do tipo dissertativo-argumentativo. A investigação faz-se necessária pelo fato da prova de Redação do ENEM exigir o domínio das cinco competências que são critérios de avaliação nessa prova escrita. Por isso, discentes concluintes do Ensino Médio que forem realizar o ENEM, precisam dominá-las. É uma pesquisa qualitativa de cunho etnográfico. As instruções dos Parâmetros Curriculares Nacionais de Língua Portuguesa e do Parâmetro Curricular Nacional do Ensino Médio servem de base para os estudos. Foram analisadas quarenta e uma redações, dissertativo-argumentativo, com o tema livre. Conclui-se que, os alunos participantes da investigação sabem escrever um texto dissertativo-argumentativo. Entretanto, conforme a exigência da Prova de Redação do ENEM, eles não atendem satisfatoriamente às cinco competências.

Referências

ANTUNES, Irandé. Textualidade: noções básicas e implicações pedagógicas. São Paulo: Parábola, 2017.

BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais: língua portuguesa/Secretaria de Educação Fundamental. Brasília, DF: MEC/SEF, 1997.

BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do Ensino Fundamental: Língua Portuguesa/Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais do ensino médio: língua portuguesa, linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília, DF: Mec/SEF, 2000.

BRASIL. Orientações curriculares para o ensino médio. Secretaria da Educação Básica. Volume 1: linguagem, códigos e suas tecnologias. Brasília: Ministério da Educação, 2006. p.01-46.

COROA, Maria Luiza. O texto dissertativo-argumentativo. In: GARCEZ, Lucília Helena do Carmo; CORRêA, Vilma Reche (org.). Textos dissertativo-argumentativos: subsídios para qualificação de avaliadores. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2017. p. 59-71. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/documents/186968/484421/TEXTOS+DISSERTATIVO+ARGUMENTATIVOS/7809ef0d-5a4a-4c24-9a03-9db15e0bdacf?version=1.0. Acesso em: 27 maio 2020.

CRUZ, Mônica Cidele. A produção textual no nível médio: uma análise das condições de produção. 2005. 97 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos). Letras, Universidade Estadual do Maringá.

ENEM. Exame Nacional do Ensino Médio. Redação no Enem 2017: cartilha do participante. INEP - Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Ministério da Educação, 2018. Disponível em: http://www.enem.inep.gov.br. Acesso em: 27 maio 2019.

ENEM. Exame Nacional do Ensino Médio. Redação no Enem 2018: cartilha do participante. INEP - Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Ministério da Educação, 2018. Disponível em: http://www.enem.inep.gov.br. Acesso em: 15 out. 2018.

ENEM. Exame Nacional do Ensino Médio. Redação no Enem 2019: cartilha do participante. INEP - Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Ministério da Educação, 2018. Disponível em: http://www.enem.inep.gov.br. Acesso em: 15 dez. 2019.

KOCHE, Vanilda Salton. O ensino de dissertação no ensino médio: características, problemas e alternativas de solução. Linguagem e Ensino. Universidade Caxias do Sul. Vol. 5, nº 2, 2002.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo. Parábola Editorial, 2008.

RIOLFI, Claudia Rosa. IGREJA, Suelen Gregatti. Ensinar a escrever no ensino médio: cadê a dissertação? Educação e Pesquisa. Universidade de São Paulo. v. 36, n. 1, São Paulo, jan./abr. 2010.

SAVIOLI, Francisco Platão; FIORIN, José Luiz. Lições de texto: leitura e redação. 5.ed. São Paulo: Ática, 2006. p. 251-302.

STREET, Brian. Letramentos sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação. Trad. Marcos Bagno. São Paulo: Parábola Editorial, 2014. p. 117- 155.

TERRA, Ernani; NICOLA, José de. Práticas de linguagem: leitura e produção de textos. Volume Único. Ensino Médio. São Paulo: Scipione, 2001. p. 371-396.
Publicado
2020-12-31
Como Citar
RAMOS, Elaine Fonseca; GONÇALVES, Clézio Roberto. A PRÁTICA DA REDAÇÃO ESCOLAR E O TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO. ENLACES - Revista de Estudos Linguísticos e Literários, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 95-129, dez. 2020. ISSN 2675-9810. Disponível em: <https://publicacoes.ifba.edu.br/index.php/enlaces/article/view/776>. Acesso em: 06 maio 2021.
Seção
ARTIGOS