ANÁLISE COMPARATIVA DOS PORTOS DE ARATU E SALVADOR: PROBLEMAS E PERSPECTIVAS

  • Ricardo Bahia Rios Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia - IFBA.

Resumo

Os portos de Aratu e Salvador representam para a economia do Estado importantes plataformas logísticas de distribuição, responsáveis pela integração da produção local/regional com os mais diversos mercados de consumo. Nesse contexto, ambos encontram-se encaixados na dinâmica semiperiférica da circulação brasileira, o que leva a justificar o estudo da organização atual desses portos dentro do cenário da Região Metropolitana de Salvador (RMS). Apoiado em uma análise quali-quantitativa, a presente pesquisa busca caracterizar a organização espacial dos portos no cenário metropolitano. Assim, estabelece um comparativo da movimentação de carga entre esses portos, destacando a importância dos mesmos para a economia regional baiana.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##
Departamento Acadêmico de Geografia.

Referências

ALBAN, M. Modal Aquaviário-Marítimo. Caderno da Fundação Luiz Eduardo Magalhães, Salvador, 4º caderno, 2002.

CODEBA. Porto de Salvador. 2007. Disponível em: . Acesso em: 15 jan. 2007.

LIMA, L. C. Reestruturação sócioespacial: do espaço banal ou espaço da racionalidade técnica. São Paulo: AnnaBlume, 2006.

PROMO, Centro Internacional de Negócios da Bahia. Estatística Baiana. 2008. Disponível em: . Acesso em: 03 mar. 2008.

SANTOS, M. Por uma outra globalização. São Paulo: Record, 2000.

SANTOS, M. A Natureza do Espaço: Técnica e Tempo, Razão e Emoção. 4. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2012.

SILVA, G.; COCCO, G. (org). Cidades e Portos: os espaços da globalização. Rio de Janeiro: DP&A, 1999.
Publicado
2016-07-12
Como Citar
RIOS, Ricardo Bahia. ANÁLISE COMPARATIVA DOS PORTOS DE ARATU E SALVADOR: PROBLEMAS E PERSPECTIVAS. Educação, Tecnologia e Cultura - E.T.C., [S.l.], n. 14, jul. 2016. ISSN 2525-3859. Disponível em: <https://publicacoes.ifba.edu.br/index.php/etc/article/view/116>. Acesso em: 15 nov. 2019.