CONTRIBUIÇÕES DA APLICAÇÃO DE JOGOS DIGITAIS NO ENSINO DE LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PARA O ENSINO MÉDIO INTEGRADO EM INFORMÁTICA

  • Cleide Souza Penteado
  • Eduardo Filgueiras Damasceno Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campus de Cornélio

Resumo

O alto índice de evasão no curso técnico integrado em informática está ligado ás dificuldades encontradas nas disciplinas voltadas à programação. Este artigo apresenta um estudo sobre a utilização dos jogos digitais como uma ferramenta de auxílio na disciplina de lógica de programação. Os resultados mostram aspectos favoráveis e valida os objetivos do estudo. Nesse sentido analisa-se artigos correlatos e discute-se à inserção futura de sua aplicação no ensino.

Biografia do Autor

Cleide Souza Penteado
Curso de pós-graduação de Informática Instrumental aplicada à Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR)
##submission.authorWithAffiliation##
Eduardo Filgueiras Damasceno - (43) 9909-1783/(43) 3520-3929, Professor Titular, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campus de Cornélio Procópio/PR.

Referências

ANDRADE, Jefferson O.; CANESE, Marta. “Um Sistema web gamificada para a aprendizagem lógica formal”. In: Anais: SBIE- XXIV SIMPÓSIO BRASILEIRO DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO. 2013.
ALMEIDA, Fernando José de; VALENTE, José Armando. “Visão Analítica da Informática na Educação no Brasil: A questão da formação do professor”. Revista Brasileira de Informática na Educação. São Paulo – PUC-SP, n.1, 1997.
ALMEIDA, Eliana S. De; COSTA, Evandro de B.; SILVA, Klebson dos S.; PAES, Rodrigo de B.; ALMEIDA, André Atanásio M; BRAGA, Julian D. Herrera. “AMBAP: Um ambiente de apoio ao aprendizado de programação”. Iniciação Científica- Universidade Federal de Alagoas (TCI/UFAL), 2002.
ANJOS, André Gustavo Cosme dos. O que é jogo? Webartigos.com – Publicação de artigos e monografias. 2010. Disponível em: Acesso.
ANTUNES, Celso. “Ludopedagogia: guia didático para prática de ensino e metodologia”. São Paulo. Ed. Do Brasil, 1974.
ANTUNES, C.O. “Jogo e o brinquedo na escola”. In. SANTOS, S.M.P. Brinquedoteca a criança, o adulto e o lúdico. Petrópolis, Vozes, 2000
ARAÚJO, Almério Melquíades de; DEMAI, Fernanda Mello; GONZALEZ, Luiz Eduardo Fernandes. Plano de Curso para Habilitação Profissional Técnica de Nível Médio de Técnico em Informática. 2012.
BEHRENS, M. A. Novas Tecnologias e Mediação Pedagógica. Campinas: Papirus, 2005a .
BERLAND, M.; LEE, V. R. Collaborative Strategic Board Games as a Site for Distributed Computational Thinking. International Journal of Game-Based Learning, v.1, n.2, p.65-81, 2011. Disponível em: . Acesso em 31/07/2015.
CAMPOS, André; GARDIMAN, Renato; MADEIRA, Charles. Uma ferramenta gamificada de apoio à disciplina introdutória de programação. In: 23º WEI - WORKHOP SOBRE EDUCAÇÃO EM COMPUTAÇÃO, 2015.
COSTA, Sérgio Souza; SOUZA, Spartacus Silva; MENDES, Leonardo C.C.; OBREGON, Rosane de F. A.; SILVA, Luzia Emanuelle R. V. Da; MOREIRA, Evaldinolia, Gilbertoni; FERREIRA, Jeane Silva. Um estudo exploratório dos games para introdução ao pensamento computacional. Capítulo 7 do Livro: Hipermídia e Interdisciplinaridade na geração do conhecimento. P. 182-208. 2015.
DANTAS, Vanessa F.; MACEDO, Eline R. de; ANDRADE, José Raul B.; COUTINHO, Danilo Raniery A.; CAVALCANTE, Ahemenson F.; VASCONCELOS, Thiago G.; PEREIRA, Ellen de S. Combinando desafios e aventura em um jogo para apoiar a aprendizagem de programação em vários níveis cognitivos. In: Anais: SBIE- XXIV SIMPÓSIO BRASILEIRO DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO. 2013.
DIJKSTRA, Edsger W. (1989). On the Cruelty of really Teaching Computing Science. In Communications of ACM, Issue 12, Vol. 32, p.1398-1404.
FALCÃO, Adair P.; LEITE, Maici D.; TENÓRIO, Marcos M. Ferramenta de apoio ao ensino presencial utilizando gamificação e design de jogos. In: CBIE – III CONGRESSO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO. SBIE – XXV SIMPÓSIO BRASILEIRO DE INFORMATICA NA EDUCAÇÃO, 2014.
FALKEMBACH, Gilse A. Morgental. O lúdico e os jogos educacionais. Universidade Federal do rio Grand do Sul – Centro Interdisciplinar de Novas Tecnologias na Educação. 2009. Disponível em: Acesso.
FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Mini Aurélio. O dicionário da Língua Portuguesa. 7. ed. Curitiba: Ed. Positivo, p. 497. 2009.
FIGUEIREDO, Karen da Silva; RIBEIRO, Jivago Medeiros; SOUZA, Raphael; ANGELO, Vinícius Raniero. Uma abordagem gamificada para o ensino de programação orientada a objetos. In: 23º WEI - WORKHOP SOBRE EDUCAÇÃO EM COMPUTAÇÃO, 2015.
FLORES, A.M. (2002) “A Informática na educação: uma Perspectiva Pedagógica”. Monografia – Universidade do Sul de Santa Catarina (1996). Disponível em: http://www.hipernet.ufsc.br/foruns/aprender/docs/monogr.htm(nov/2002).
FURTADO, Vasco. Tecnologia e gestão da informação na segurança pública. São Paulo: Garamond, p.24, 2002.
GOMES, Anabela; HENRIQUES, Joana; MENDES, António José. Uma proposta para ajudar alunos com dificuldades na aprendizagem inicial de programação de computadores. In Educação, Formação & Tecnologias. vol. 1, p. 93-103, maio 2008. Disponível em http://eft.educom.pt.
HANGUENAUER, Cristina Jasbinscheck; CARVALHO, Fabrícia Silva de; VICTORINO, Ana Lúcia Quental; LOPES, Marise Castello Branco Altro; FILHO, Francisco Cordeiro. Uso de Jogos na Educação Online: a Experiência do LSTEC/UFRJ. Revista Educação Online. V. 1, n.1, janeiro/abril de 2007.
HERZ, J. C. Joystick nation: how videogames ate our quarters, won our hearts, and rewired our minds. Boston: Little, Brown and Company, 1997.
IMASTERS, disponível em:http://imasters.com.br/desenvolvimento/tres-maneiras-divertidas-de-desenvolver-suas-habilidades-de-programacao/?trace=1519021197&source=home
JENKINS, T. (2002). On the difficulty of learning to program. In Proceedings of 3rd anual LTSN_ICS Conference (Loughborough University, United Kingdom, August 27-29, 2002). The Higher Education Academy, p. 53-58.
JOHNSON, S. Surpreendente!: a televisão e o videogame nos tornam mais inteligentes. Rio de Janeiro: Elsevier. 2005.
JUNIOR, José Carlos Rocha Pereira; RAPKIEWICZ, Clevi Elena; DELGADO, Carla; XEXEO, José , Ricardo Miranda. Ensino de Algoritmos e Programação: Uma Experiência no Nível Médio: p.2351-2362, 2005.
KAFAI, Y.B. Playing and making games for learning. In: GAMES AND CULTURE, V.1, n.1, pages 36-40. 2006.
KAPP, K. M. The Gamification of Learning and Instruction Fieldbook: Ideas Into Practice. New York, USA: John Wiley, 2013.
KAZIMOGLU, C.; KIERNAN, M.; BACON, L.; MACKINNON, L. Learning programming at the computational thinking level via digital game-play. Procedia Computer Science, nv. 9, n. 0, p. 522-531, 2012. Elsevier Masson SAS. Disponível em: http://linkinghub.elsevier.com/retrieve/pii/S1877050912001779. Acesso em: 31/07/2015.
LOPES, J.J. (2004) “A introdução da informática no ambiente escolar”. Disponível em: http://www.clubedoprofessor.com.br/artigos/artigosjunio.htm(dez/2004).
MATTAR,João. Games em Educação. Pearson. São Paulo v.1, p.14-16, 2010.
MATUCHESKI, Franciele Luci. Os papéis dos professores dentro dos paradigmas educacionais. PUCPR. P. 10028, 2008. Disponível em < http://www.pucpr.br/eventos/educere/educere2008/anais/pdf/378_162.pdf>.
MORAIS, Dyego Carolos Sales de; FALCÃO, Taciana Pontual. Processos participativos de desenvolvimento de jogos digitais em contextos escolares. In: CEIE – 4º DESAFIE- WORKSHOP DE DESAFIOS DA COMPUTAÇÃPO APLICADA À EDUCAÇÃO. São Paulo, 2015.
MORATORI, P., Porque utilizar jogos educacionais no processo de ensino aprendizagem? Rio de janeiro, 2003.
MORAN, J. M. Novas Tecnologias e Mediação Pedagógica. Campinas: Papirus, 2005.
NETO, Sebastião Rogério da Silva; SANTOS, Higor Ricardo M.; SOUZA, Anderson Alves de; SANTOS, Wilk Oliveira dos. Jogos educacionais como ferramenta de auxílio em sala de aula. In II CONGRESSO BRASILEIRO DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO (CBIE) e. XIX WORKSHOP DE INFORMÁTICA NA ESCOLA (WIE).2013. São Paulo.
OLIVEIRA, Gabriela A.A. de; BETTIO, Raphael W. de; RODARTE, Ana P.M.; BRAZ, Jussara E.; FERRARI, Fernanda B. Grubibots educacional: jogo para o ensino de algoritmos na educação básica. In: CBIE – III CONGRESSO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO. SBIE – XXV SIMPÓSIO BRASILEIRO DE INFORMATICA NA EDUCAÇÃO, 2014.
PRENSKY, Marc. Digital natives, digital immigrants. On the Horizon, v.9, n.5. MCB University Press. Out. 2005. Disponível em: < http://marcprensky.com/writing/Prensky%20-%20Digital%20Natives,%20Digital%20Immigrants%20-%20Part1.pdf>.
RAPKIEWICZ, Clevi Elena; FALKEMBACH, Gilse; SEIXAS, Louise; ROSA, Núbia dos Santos; CUNHA, Vanildes Vieira da; KLEMANN, Miriam. Estratégias pedagógicas no ensino de algoritmos e programação associadas ao uso de jogos educacionais. CINTED – UFRGS. V.4, n.2, 2006.
RESCOLA, disponível em : http://rescola.com.br/codecombat-um-site-onde-as-criancas-aprendem-a-programar-lutando-contra-ogros/
SILVA, Thiago Reis da; MEDEIROS, Taina Jesus; ARANHA, Eduardo Henrique da S. Jogos digitais para ensino e aprendizagem de programação: uma revisão sistemática da literatura. In: CBIE – III CONGRESSO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO. SBIE – XXV SIMPÓSIO BRASILEIRO DE INFORMATICA NA EDUCAÇÃO, 2014.
SOUZA, Mari Andrade de. Informática na educação especial, desafio e possibilidade tecnológica. Curitiba: Artigo Científico. p.6-12, 2008.
STAHL, M. M. Ambientes de ensino-aprendizagem computadorizados: da sala de aula convencional ao munda da fantasia. São Paulo: Cortez, 2002.
VAHLDICK, Adilson; MENDES, Antônio José; MARCELINO, Maria José; HOGENN, Maciel; SCHOEFFEL, Pablo. Testando a diversão em um jogo sério para o aprendizado introdutório de programação. In: 23º WEI - WORKHOP SOBRE EDUCAÇÃO EM COMPUTAÇÃO, 2015.
VALENTE, José Armando. Liberando a mente: computadores na educação especial. Campinas: UNICAMP, 1991.
VALENTE, José Armando. Diferentes usos do computador na educação. Núcleo de Informáica Aplicada à Educação: NIED/UNICAMP, 2000.
WEBER, Maía Amélia Leite; BEHRENS, Mailda Aparecida. Paradigmas educacionais e o ensino com a utilização de mídias. Revista Intersaberes. Curitiba, a.5, n.10, p.245-270, jul./dez.2010.
Publicado
2016-06-30
Como Citar
PENTEADO, Cleide Souza; DAMASCENO, Eduardo Filgueiras. CONTRIBUIÇÕES DA APLICAÇÃO DE JOGOS DIGITAIS NO ENSINO DE LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PARA O ENSINO MÉDIO INTEGRADO EM INFORMÁTICA. Educação, Tecnologia e Cultura - E.T.C., [S.l.], n. 14, jun. 2016. ISSN 2525-3859. Disponível em: <https://publicacoes.ifba.edu.br/index.php/etc/article/view/17>. Acesso em: 15 nov. 2019.